Notícias

01/09/17

MAIS DE 10 MIL NAS RUAS EM DEFESA DO MEIO PASSE

MAIS DE 10 MIL NAS RUAS EM DEFESA DO MEIO PASSE

Mais de 10 mil estudantes ocuparam as ruas de Porto Alegre no dia do 11, dia do estudante, em defesa do Meio-Passe. Em uma manifestação histórica, estudantes deram uma demosntração da sua força, e nas palavras de ordem deixaram o recado para o Marchezan, "O meio passe é meu direito, se mexer nele derrubamos o prefeito'. Este foi a primeira ação em defesa do Meio-Passe, ainda terão outras atividades até a retirada do projeto da Câmara.

De acordo com Erick Pimentel, presidente da União Metropolitana dos Estudantes de Porto Alegre - UMESPA “a exigência da renda irá burocratizar o sistema a partir da solicitação de muitos documentos. Na prática, vai impedir milhares de estudantes de usarem o direito ao meio-passe, obrigando-os a parar de estudar. Atualmente, só utiliza o ônibus em Porto Alegre quem é obrigado. Sabemos que nenhuma família que tenha condições financeiras para levar os seus filhos à escola os submeteria à péssima qualidade do transporte, e principalmente à insegurança atual, que prejudica diretamente os estudantes nas saídas das escolas. Vamos derrubar esse pacote”,

Segundo o presidente da União Gaúcha dos Estudantes Secundaristas (UGES), Marcos Prestes, a manifestação do dia 11 foi uma resposta dos estudantes aos ataques promovidos pelo Marchezan. “O dia 11 de agosto foi apenas o começo de uma jornada de lutas na consolidação de uma frente permanente em defesa do meio-passe, que os estudantes irão organizar até que o pacote seja derrubado”.

Na íntegra segue a nota da UMESPA que convocou o ato:

 

O prefeito Marchezan encaminhou para a Câmara de Vereadores, no dia 25 de julho, projeto para restringir o Meio-Passe, que visa tirar o direito dos estudantes, não baixar a tarifa e ainda aumentar o lucro dos empresários.

     Atualmente só utiliza o ônibus em Porto Alegre quem é obrigado. Sabemos que nenhuma família que tenha condições financeiras para levar os seus filhos para escola (ou contratar um transporte escolar) os submeteria à péssima qualidade do transporte, e principalmente à insegurança atual, que prejudica diretamente os estudantes nas saídas das escolas. Ao mesmo tempo, vem a proposta da prefeitura de retirar o direito de estudantes de cursos pré-vestibulares e profissionalizantes. Para o ensino médio, fundamental e técnico a proposta é limitar a quem comprovar renda familiar de 3 salários mínimos, burocratizando o sistema, na exigência de muitas documentações, que na prática vai impedir milhares de estudantes de usar seu direito ao meio-passe, obrigando estes a parar de estudar.

    O projeto também retira o direito aos domingos e feriados, limita a cota mensal para 50 passagens, que hoje é de 75 passagens, acaba a possibilidade de requerer 150 passagens, que hoje é dado para quem precisa de 4 passagens diárias.

    O país está em uma crise profunda com mais de 26 milhões de desempregados e subempregados, onde as famílias fazem um esforço para garantir a seus filhos o acesso a educação. Neste momento Marchezan ataca mais uma vez a Educação, depois de atacar o EJA, POP, UNIPOA, agora vem querer acabar com o Meio-Passe, o prefeito em vez de tratar o transporte como público, trata como privado, não cobra do governo federal isenções de impostos, não quer mexer no lucro dos empresários de ônibus e ainda os ajuda, propondo a demissão de cobradores, aumento do tempo de uso dos ônibus, sendo que eles já tem um lucro absurdo de 40 centavos por tarifa.

    Nossa resposta será nas ruas, no dia 11 de Agosto, dia do estudante, vamos parar Porto Alegre e deixar bem claro que ninguém vai mexer no nosso direito.