Notícias

GREVE GERAL DIA 30

GREVE GERAL DIA 30

Nesta quarta, estivemos no centro de Porto Alegre, deixando todo nosso apoio a GREVE GERAL no dia 30. Confira na íntegra a convocatória da UGES para a greve:

 

      Na próxima sexta-feira dia 30 de junho o Brasil vai parar contra as reformas de Temer que ameaça direitos históricos dos trabalhadores, como as férias, 13° salário,  e até o direito de aposentar-se.

       Querem acabar com a aposentadoria! Temer almeja impor praticamente meio século de contribuição (proposta é 49 anos) e não quer que ninguém se aposente antes dos 65 anos de idade. É um absurdo fazer com que o povo trabalhe a vida inteira sem perspectiva alguma de receber. Em alguns lugares no Brasil a expectativa de vida é inferior a 65 anos. Logo o Temer que se aposentou aos 55 anos recebendo R$30 mil por mês.

       O governo gasta milhões em publicidade para fabricar um déficit na previdência e a cada dia divulga um dado distinto sobre o “rombo”, mas na pratica o governo omiti contribuições do cofins, CSLL e Pis/Pasep para justificar um “déficit”.  A previdência tem lucro! Segundo o anuário estatístico da previdência social em 2015 ela teve uma receita de R$590,1 Bilhões e uma despesa de R$486,5 Bilhões, ou seja, teve um superávit de R$103,6 Bilhões só em 2015. Na prática Temer e Meirelles mentem para tirar a aposentadoria e os direitos do povo.

       As delações da Odebrecht e da JBS escancararam para o país o saque feito por Temer e sua corja aos cofres públicos. Pois esses mesmos que foram grampeados roubando e tramando  contra a operação lava-jato querem tirar nossos direitos e mexer em na aposentadoria para entregar ainda mais dinheiro aos banqueiro. Em 2015 e 2016 mais de R$908 Bilhões foram desviados aos bancos. Essa politica de favorecer os banqueiros e tirar do povo resultou em mais de 23 milhões de desempregados. Os 3 maiores bancos internacionais registraram lucros superiores a R$ 46 bilhões.

       Nesse momento delicado, os estudantes declaram apoio total a greve geral do dia 30 de junho, vamos parar o Brasil inteiro e dizer que não vamos trabalhar até a morte, não aceitaremos as reformas da previdência e trabalhista, a saída é chamar o povo para decidir através de eleições diretas e gerais. 30 de junho GREVE GERAL JÁ!

Fora Temer!

Não às Reformas!

Eleições Gerais Já!

UGES faz mapa de falta de professores e problemas nas estruturas das escolas.

UGES faz mapa de falta de professores e problemas nas estruturas das escolas.

Pedimos que nos mandem todos os problemas por fotos e videos via mensagens, pois queremos apresentar estas demandas para a Secretaria Estadual de Educação e exigir soluções imediatas.

Se na sua escola falta professores, se a merenda for de má qualidade ou tem problemas na estrutura como por exemplo, se a biblioteca está fechada, as paredes caindo, virou depósito, não tem bibliotecário(a), o piso está quebrado, não tem ventiladores entre outros problemas que também ocorram nas salas de aula, laboratórios, quadras, refeitórios, banheiros ou outras dependências da escola, nos envie.

Sabemos que ainda no mês de Maio, faltam muitos professores e temos diversos problemas de infra-estrutura nas escolas. Por isso estamos fazendo esse mapa de tudo que falta nas escolas públicas do RS, esse mapa vai nos ajudar a fazer a denúncia e a cobrar com mais detalhes e provas.

Contatos:
UGES - 51 3372 4178
Marcos Adriano - Presidente da UGES - 51 99173 8805 (whats)

Circuito de Cinema Soviético

Circuito de Cinema Soviético

Nesta quinta (18/05), começa a exibição inédita de "NOITE DE INVERNO EM GAGRA", às 19h30min, na Sala Norberto Lubisco, na Cinemateca Paulo Amorim, na Casa de Cultura Mário Quintana.

NOITE DE INVERNO EM GAGRA 
Zimniy vecher v Gagrakh - União Soviética, 1985, 90min. 
Direção de Karen Shakhnazarov e música de Anatoly Kroll. MosFilm, 12 anos. Drama.

Sinopse: 
Um ex-dançarino russo de sapateado leva uma vida discreta, mas sonha em repetir o sucesso dos anos 1950, quando foi muito famoso. A oportunidade vem quando o programa de TV "Nomes Esquecidos" informa que ele já está morto.

Valor da sessão: 
Terças, Quartas e Quintas-Feiras: R$ 12,00 (R$ 6,00 para Estudantes e Maiores de 60 Anos).
Sextas, Sábados, Domingos e Feriados: R$ 14,00 (R$ 7,00 para Estudantes e Maiores de 60 Anos).
Clientes do Banrisul: 50% de descontos em todas as sessões.

Nota da UGES sobre a reforma do Ensino Médio

DEFENDER A ESCOLA PÚBLICA E DERROTAR A REFORMA DO ENSINO MÉDIO DE TEMER!

Na última quinta-feira, dia 22 de setembro, o governo Temer apresentou, através da Medida Provisória 746/2016, sua proposta de reforma para o ensino médio. A medida é a continuação das várias ações que o governo tem tomado para enfraquecer a educação e os serviços públicos no Brasil. A reforma propõe enfraquecer a escola pública, dá espaço para a privatização do ensino médio e deixa ainda pior as condições de trabalho dos professores.

Ela enfraquece a escola pública, pois empobrece o currículo obrigatório ao retirar as disciplinas de artes, educação física, sociologia e filosofia. O governo vai ainda mais longe ao dividir o ensino em 5 áreas (formação técnica, linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática) e autorizar os sistemas de ensino a oferecer somente uma das áreas, o que deixaria muitos estudantes sem poder cursar sua opção e permite aos governos tomar decisões que diminuam os recursos da área, prejudicando a formação dos alunos.

A reforma também propõe que parte da formação escolar possa ser feita em instituições parceiras (apelido bonitinho para cursos particulares) e chega ao ponto de autorizar que horas de trabalho possam substituir parte das aulas. O plano do governo Temer é, ao invés de aumentar o investimento do governo na escola pública, liberar o ensino privado e forçar o jovem a cada vez mais trocar a sala de aula pelo trabalho de baixa qualidade. E ainda admite o repasse de parte da ajuda federal aos estados para pagamento de bolsas de estudo na rede privada. É a privatização da escola ganhando força.

Outra intenção é a de deixar ainda mais precária as condições de trabalho dos professores e funcionários, pois permite a contratação de profissionais pela comprovação de notório saber ao invés de investir na realização de mais concursos e em melhores condições de trabalho para esses profissionais tão mal remunerados.

A proposta também cria a fantasia de um sistema de período integral, mas não cria nenhuma meta, não mostra como isso vai ser feito e não diz como isso será financiado. Temer e seus ministros já mostraram que não vão ampliar os investimentos do governo federal em educação e saúde, pois defendem a aprovação de uma PEC que congela por 20 anos o investimento nessas áreas e os governos estaduais e as prefeituras também não tem dinheiro para ampliar esse investimento. Um ensino integral sem mais investimento, sem merenda, sem infra-estrutura e sem melhores condições para os professores não é ensino integral. Um ensino integral desse jeito é prender o jovem em uma escola sucateada e enfraquecida.

Como se não bastasse tudo isso, o governo apresentou essa reforma por Medida Provisória, para apressar sua aprovação e impedir a discussão dessa absurda proposta pelos estudantes e pela sociedade. Nós queremos uma escola melhor, com melhores condições de estudos e salários decentes para seus trabalhadores, queremos reconstruir a escola pública do Brasil e toda a educação e, por isso, vamos lutar para derrotar esse ataque do governo Temer!

 

União Gaúcha Dos Estudantes - UGES
União Metropolitana Dos Estudantes De Porto Alegre - UMESPA
União Municipal dos Estudantes de São Paulo - UMES SP
União Estudantil de Fortaleza - UNEFORT

Parceiros

Encontre-nos